As plataformas dos bancos digitais e físicos precisam preparar seus profissionais de cyber segurança de modo mais prático para que pensem fora da caixa.

Não se faz mais segurança da informação com base em livros e metodologias teóricas, é preciso entender a fundo como roubos, as fraudes e os golpes que estão acontecendo para acelerar o desenvolvimento das tecnologias que necessitam agir de forma PREVENTIVA e PREDITIVA, a corretiva em alguns casos geram além da perda financeira, danos psicológicos e possíveis mortes de pessoas.

Profissionais de segurança da informação precisam interagir mais, compartilhar ideias e projetos, mesmo que sejam de empresas concorrentes, é preciso entender que segurança faz parte de um NETWORK POSITÍVO não se tem concorrência. 

Link matéria recente (21/07/21): https://extra.globo.com/casos-de-policia/bandidos-exigem-pagamento-via-pix-para-libertar-vitimas-de-sequestro-relampago-25119448.html

Você já imaginou um parente seu sofrer um SEQUESTRO RELÂMPAGO sendo obrigado a fazer transferências via PIX para contas com uma arma apontada para sua cabeça?

Atuamos nessa área a muito tempo e temos diversos CASES analisados/investigados. Sempre atuei de forma colaborativa para tentar minimizar e mitigar esses riscos que envolvem o mundo cibernético.

Sei do compromisso com a SEGURANÇA DIGITAL dos bancos e de seus profissionais de segurança, mas vamos compartilhar conhecimento com prática. 

Aplicamos um projeto para um cliente que usa a tecnologia GEOFENCING que nada mais é que só se habilita uma transação dentro de um raio pré-definido pelo próprio cliente, ou seja:

Se eu não tiver dentro do raio pré-definido não é autorizado a transação via PIX. É uma tecnologia inventada por nós?

Claro que não!

Vamos ganhar essa guerra?

Claro que não!

Chegou diversos especialistas dizendo que já tem esse recurso dentro de sua plataforma (conhecemos diversas plataformas e não temos conhecimento ao acesso a esse tipo de recurso), outros falando que isso gera um impacto aos negócios, alguns aplicando esse recurso só após nós darmos uma palestra ou consultoria, enfim, tem de tudo…

O que não dá mais é para nós profissionais de segurança deixar prevalecer a VAIDADE ou EGO, façam NETWORK com outros profissionais e estejam antenados com as ocorrências reais do cotidiano do crime. 

Fonte: Artigo Linkedin

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 2 =